quinta-feira, 14 de março de 2013

Retorno ao blog

Depois de mais de 4 meses sem nada postar aqui, volto à tarefa desagradável -- mas necessária -- de denunciar as mazelas do movimento espírita brasileiro. Mesmo não tendo qualquer participação ativa nele, pois que não simpatizo com a coisa, infelizmente acabei me envolvendo em certas questões que o tocam de perto, principalmente no que tange ao quesito divulgação, e pude então verificar toda a SUJEIRA que rola aí.

De início, acreditei que os responsáveis pela divulgação de informações enganosas sobre certo "ícone" espírita (ou de vídeos em que o próprio fazia o "trabalho") fossem apenas ingênuos propagadores de inverdades. Que nada! A ingenuidade era toda minha... Muitos divulgadores espíritas estão plenamente cientes das mentiras que estão a propagar, e outros vão ainda além, turbinando as falsidades com "adendos" quase cômicos, tamanha a fantasia envolvida no processo. Ponto comum entre ambos: fazem o que podem para impedir que a verdade sobre aquilo que divulgam seja levada à público, e, como não poderia deixar de ser, frequentemente utilizam-se da CENSURA para fazerem valer seus propósitos macabros, mesmo em casos em que seria impensável tal procedimento.

É sobre isso que falarei na postagem seguinte e posteriores. (Sim, terei que dedicar algumas postagens a este assunto, pois, ficando apenas no quesito censura, tive a infelicidade de ser boicotado mais de uma vez por certos canalhas espíritas que acabei "trombando" na Internet.)

4 comentários:

  1. No aguardo pra ver qual foi a nova empreitada dos iluminados..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Bruno. Finalmente irei iniciar a escrita da primeira postagem da "série". Pretendo publicá-la ainda hoje. Vamos ver...

      Excluir
  2. Olá Edmar, Boa Tarde!

    Gostaria de saber a sua opnião, se há na realidade alguma religião que seja verdadeira. Me desculpe, mas não consegui me aprofundar em todos os tópicos do seu blog para saber se o Sr. expressou a sua opnião sobre o assunto.

    Agradeço sua preocupação na resposta.

    Obrigada,

    Daniela

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Primeiramente, peço desculpas pela demora em retornar-lhe. É que não ando passando muito bem. Quanto à sua pergunta, noto que você partiu do pressuposto de que religiões podem ser caracterizadas como verdadeiras ou falsas, e, em minha opinião, isto não é possível. Todos os conceitos de "religião" que conheço levam em conta elementos que não são passíveis de julgamento sob o critério acima referido, sejam por terem em seu bojo princípios metafísicos, seja por levarem em conta sistemas éticos mui singulares (como no caso das religiões ditas "filosóficas"). Sendo assim, pelo menos no que diz respeito a estes aspectos, não há critérios para que possamos avaliá-los como verdadeiros ou falsos, e a coisa escapa completamente para a esfera subjetiva. Aceitar ou não tais elementos ficará à cargo do mundo íntimo de cada um.

      Um abraço.

      (Nota: como sua pergunta está fora do contexto da postagem, ela poderá ser apagada a qualquer momento, assim como esta resposta.)

      Excluir

ATENÇÃO: Peço não se registrarem com pseudônimos (a menos que associados a alguma conta digital) ou escreverem seus nomes inteiramente em maiúsculas. Além disso, comentários fora de contexto ou que apresentem linguagem de baixo calão serão apagados. --- Nota de 14/08/2013: A partir desta data, comentários fora de contexto ou que apresentem linguagem de baixo calão não serão nem mesmo publicados.