quinta-feira, 28 de março de 2013

Censura praticada pelo canal da UniEspírito no YouTube

Dando continuidade à "série" mencionada neste post aqui e iniciada com a postagem anterior, irei denunciar abaixo uma censura que sofri recentemente ao tentar responder a uma "réplica" a um comentário meu a certo vídeo ("Medicina e Espiritualidade") do canal da UniEspírito no YouTube localizado em http://www.youtube.com/watch?v=t0IG05__fx8.

Há mais de 1 ano, foi publicado o seguinte comentário deste que vos escreve ao vídeo acima referido:

1- Não há qualquer respaldo científico em se afirmar que o corpo irradie magnetismo (no sentido físico da palavra). 2- A ressonância nuclear magnética está ligada à absorção ressonante de energia eletromagnética por núcleos atômicos submetidos a um forte campo magnético e a ondas de rádio, portanto, nada tem a ver com a alegada irradiação de magnetismo pelo corpo humano. 3- Quanto ao telefone celular, seu mecanismo está baseado em ondas eletromagnéticas, não ondas magnéticas, como dito.
 · 

E, conforme me foi comunicado automaticamente pelo YouTube às 2:15 de 10/03 último, uma pessoa, talvez sem saber que estava a ensinar o "Padre Nosso" ao vigário (minha dissertação de mestrado, defendida no IFUSP, esteve focada principalmente em Eletromagnetismo), postou a seguinte "réplica" a ele (abaixo, como aparece atualmente):

Nando Biscardi 2 semanas atrás
Cada contração que o coração realiza para bombear o sangue para o corpo gera uma corrente elétrica. O mesmo ocorre com o estômago, que está em constante movimento de contração, mesmo que não haja alimento para ser digerido. Essa corrente, como toda corrente elétrica, gera um campo magnético, efeito que é conhecido como a Lei de Ampère.
O nosso cérebro gera constantemente correntes elétricas, e como conseqüência, campos magnéticos.
 ·  em resposta a jedarib (Mostrar o comentário)

A esta "réplica" submeti o seguinte comentário, por volta das 19:30 de 12/03:

Bem, não sei por que resolveste postar este comentário (copiado de texto disponível na Internet -- da próxima vez cite a fonte, ok?) como réplica ao que escrevi. Se estás a pensar que as informações fornecidas contradizem minha observação 1, reflita um pouco mais... Sei muito bem que há campos magnéticos (pequeníssimos) gerados por atividades elétricas de nossos órgãos, mas eles não "avançam" mais que uns poucos milímetros acima de nossa pele, e, portanto, impróprio dizer que são *irradiados*.

Nota: este comentário -- que, como pode ser constatado, busca simplesmente ESCLARECER determinado ponto -- foi CENSURADO pelo(a) responsável pelo canal da UniEspírito no YouTube.

Pois bem. Como me esforço para resolver as coisas da melhor forma possível, enviei a seguinte mensagem particular em 18/03 para o(a) responsável pelo referido canal:

O comentário que submeti por volta das 19:30 do dia 12/03 ao vídeo de vocês localizado em http://www.youtube.com/watch?v=t0IG05__fx8 não está disponível publicamente. Desculpe-me, mas, se vocês não o tornarem público, pública será a denúncia que farei sobre isso, quando relatarei também algunas cositas más a respeito da Uniespírito... Desejando mais verdade e menos censura, despeço-me.

Sem sucesso... (Basta acessar o link fornecido no início deste texto neste exato momento. Meu comentário ainda não foi disponibilizado publicamente, e provavelmente nunca o será.)

Mas isto não me espanta. Era de se esperar este tipo de atitude (censura indébita) por parte da UniEspírito, nome que praticamente se confunde com canalhice e cujo mentor e apoiadores se esforçam a mais não poder em manter seus admiradores e financiadores em um patamar de subesclarecimento. Vejamos...

O projeto UniEspírito -- Universidade Internacional de Ciências do Espírito, idealizado pelo médico Sérgio Felipe de Oliveira (conheça mais!) e abraçado em sua concepção pela FEAL -- Fundação Espírita André Luiz (que seria a mantenedora do projeto, e inclusive teria cedido terreno para a construção do campus da futura universidade), foi tornado público em 25/01/2004(*), no programa "Boa Nova na TV", e desde o seu início esteve envolvido em propagandas enganosas. Basta ver, por exemplo, a matéria "Saber do outro mundo", da IstoÉ de 28/04/2004 (vide versão online aqui), onde se diz:

Há cerca de um mês, também entrou no ar a Uniespírito, uma universidade virtual que terá uma filial na França, terra natal de Allan Kardec, o codificador do espiritismo. O braço francês do projeto brasileiro será lançado em outubro, durante o IV Congresso Espírita Mundial, que acontecerá em Paris.

Duas mentiras: 1- UniEspírito era (e ainda é!) apenas o nome de um projeto de universidade; 2- sendo somente projeto, obviamente não tem qualquer sentido falar-se em "filial", ainda mais no exterior...

Mais à frente na mesma matéria, Sérgio Felipe foi descrito como psiquiatra, coisa que ele não é e nunca foi.

Pois bem. O projeto UniEspírito sempre teve seu site (www.uniespirito.com.br) como "janela" para o público. E foi curioso notar que, a partir de meados de outubro de 2004, a subpágina Quem Somos, que se iniciava com os dizeres: "Universidade Internacional de Ciências do Espírito (UniEspírito) é um projeto da Fundação Espírita André Luiz para uma década de trabalho", simplesmente havia sumido da página principal... O projeto UniEspírito perdera seu vínculo com a FEAL.

A "explicação" para isso, nós a encontramos, por exemplo, em uma entrevista de Sérgio Felipe publicada na Revista Cristã de Espiritismo n. 42 (vide versão online aqui):

(...) Nós começamos a produzir cursos e-learning, que faziam parte de todo um projeto de implantação da Uniespírito. O curso chegou a ter 70.000 mil acessos por mês. Foi um sucesso! Mas eu não consegui acompanhar a demanda e o crescimento de alunos no curso. E tão pouco a Fundação tinha condições de me dar uma estrutura para suportar o ritmo do curso.
Então, tive que dar um passo para trás, para começar de um jeito que eu podia acompanhar. Assim, eu pedi licença para a Fundação e mantive um relacionamento apenas por causa da mídia (Rádio Boa Nova e a TV).

Definitivamente, não convence... Ora, se o problema todo era a demanda de alunos para o tal curso e-learning, bastava limitar o número de "vagas"! É óbvio que este NÃO foi o motivo para o rompimento da FEAL com o Projeto UniEspírito naquela ocasião. A verdadeira causa do fato, desconhecemos qual tenha sido.

Outro ponto que gostaria de ressaltar é que desde pelo menos meados de setembro de 2011 os responsáveis pelo marketing do Projeto UniEspírito, na tentativa de enganar potenciais "enganáveis", suprimiram capciosamente a palavra "Projeto" que aparecia (e deveria continuar aparecendo!) na abertura do site www.uniespirito.com.br. Vejam o cabeçalho da página naquele mês daquele ano:


Ele assim permaneceu até fins do ano passado (2012). Hoje, apesar do site apresentar outro design, a ausência (proposital) da palavra "Projeto" na abertura da página continua... Vejam:


O motivo parece-me mais do que óbvio. Conforme já pudemos constatar do boicote a meu comentário no YouTube (vide início deste texto), existe por parte dos envolvidos no Projeto UniEspírito uma sombria intenção: a de sustentar e propiciar equívocos evitáveis. No caso acima, parece-me que o objetivo não é outro se não fazer com que pessoas desavisadas acreditem existir uma "Universidade Internacional de Ciências do Espírito", quando o que existe de fato (na verdade, nem isto acredito que tenha sido feito a contento) é apenas um projeto de universidade...

Nota: Depois de mais de 8 anos sem vínculo com o Projeto UniEspírito, Fundação Espírita André Luiz (FEAL) voltou novamente a albergá-lo no início deste ano (vide aqui). Em tese, portanto, é ela a responsável pela CENSURA que denunciamos no começo deste texto e pela OMISSÃO PROPOSITAL referida logo acima. Para uma instituição que propugna, dentre outras coisas, "pela formação cívica, moral, cultural, educativa e religiosa do povo" (vide Artigo 2o. do Capítulo I de seu Estatuto Social -- aqui), não está nada bem, não é?...

(*) Como Universidade do Espírito apenas, o projeto foi tornado público ainda antes, em 15/04/2003, através de e-mail enviado para muitas pessoas naquele dia.

quinta-feira, 21 de março de 2013

O 'vale-tudo' da divulgação de Sérgio Felipe por Alamar Régis: mentiras, falácias e censura

Conforme informei no post anterior, não tenho participação ativa no movimento espírita. Não acredito que ele acrescente um iota à sociedade [1]. Muito pelo contrário! O comportamento de alguns de seus membros viola os mais universais princípios éticos e constitui verdadeira afronta aos direitos civis. Mas, apesar de não atuar no referido movimento -- como vinha dizendo --, sempre recebo de uns poucos conhecidos (reais ou virtuais) informações a respeito, o que acaba me colocando a par de certas coisas [2]. Foi assim que, de tanto receber e-mails relacionados ao médico Sérgio Felipe cheios de arroubos emocionais por parte dos remetentes -- em decorrência de informações que, ao que parece, eles creditavam como verdadeiras --, reuni todo o material que já possuía sobre o médico (fruto de antigas leituras em revistas associadas ao espiritismo), entrei em contato com certas instituições (ICB/USP, FMUSP) para certificar-me de algumas questões, fiz pesquisas na Internet (para facilitar a averiguação de certos pontos pelo leitor, através de links, e para "fechar" outros), e dei ao público, em dezembro de 2011, o Dossiê "Sérgio Felipe de Oliveira".

Já me adiantando àqueles cuja estreiteza mental e sensibilidade obnubilada os impede de enxergar a utilidade do trabalho a que acabamos de nos referir -- muito certamente terão a mesma visão deste presente texto --, deixarei aqui apenas dois pontos, mais do que suficientes para pulverizar acusações de que o "Dossiê" não teve (e não tem) qualquer valor: 1- recebi muitos retornos positivos pelo trabalho, a maioria proveniente de espíritas, com sinceros agradecimentos por sua realização; 2- ainda que eu não tivesse recebido qualquer retorno, a simples publicação do "Dossiê" tem um valor intrínseco, pois que ninguém em sã consciência poderá considerar a denúncia de informações públicas falsas e de rasas distorções científicas como algo destituído de utilidade.

Pois bem. Quando escrevi aquele trabalho, onde cito Alamar Régis (vide nota de rodapé 1, na pág. 1, e laudas 10-11), apesar das mentiras por ele propagadas a respeito da formação e dos "feitos" de Sérgio Felipe, tive o cuidado de classificá-lo apenas como um enganado [3], pois sempre considero a priori que todas as pessoas são de bem, e poucas coisas me incomodariam tanto quanto a possibilidade de estar cometendo injustiças. Entretanto, em maio do ano passado (2012) a situação mudou...

Tendo sido avisado no início daquele mês sobre certos comentários duvidosos de Alamar Régis em um vídeo dele localizado em http://www.youtube.com/watch?v=iIZw-ZsrgK4 ("Dr. Sérgio Felipe e a Fenomenologia"), no dia 05/05/2012 fui lá verificar. Os comentários apareciam da seguinte forma àquela época:

As provas estão nas diversas Universidades da Europa e dos Estados Unidos, onde o Dr. Sérgio é convidado a fazer conferências TODOS OS ANOS, sempre mais de uma vez no ano, na presença de vários cientistas dos mais notáveis da Alemanha, da França, da Bélgica, da Rússia, da Inglaterra, de Suiça e de vários países. É uma pena que o preconceito religioso avalie pessoas, sem conhecer, só por causa de fanatismo igrejeiro. Lamentável.

Pois é, amigo, conforme a sua inteligência ele não é médico. Mas será que pensam igual a você, o PRÊMIO NOBEL DE FÍSICA e o PRÊMIO NOBEL DE QUÍMICA, que foram assistir conferências dele na Europa e o aplaudiram de pé? Que charlatanismo é esses, que desenvolveu o estudo profundo sobre a Glândula Pineal, e que foi aprovada por unanimidade pelo corpo cientista da USP e por várias Universidades conceituadas de Europa dos Estados Unidos. Que é o charlatão nesse história, ele ou você?

Respondi a ambos no mesmo dia.

Ao primeiro -- cuja informação fornecida é COMPLETAMENTE FALSA [4], e que, na desorganização costumeira (e talvez proposital) do Sr. Alamar nas respostas a comentaristas de seus vídeos, não sabemos a quem se destina, uma vez que ele não utilizou a opção Responder para a sua "réplica" --, fiz a seguinte consideração:

Por obséquio, Sr. Alamar: poderia citar os NOMES das "diversas Universidades da Europa e dos Estados Unidos" onde Sérgio Felipe tem sido convidado a realizar palestras todos os anos e os NOMES de alguns dos "vários cientistas dos mais notáveis" que têm presenciados estas palestras?

E ao segundo -- COMPLETAMENTE FALACIOSO, pois que, mesmo que fossem verdadeiras as "informações" fornecidas por Alamar (obviamente que não são), isto em nada pesaria contra a acusação (leviana) de que Sérgio Felipe não é médico, e também não nos permitiria considerar o comentarista, por isso, um "charlatão" --, anexei a seguinte pergunta:

Mais uma vez: poderia dizer-nos os NOMES dos Nobéis de Física e Química que assistiram a palestras de Sérgio Felipe e que o aplaudiram de pé? Poderia também citar os NOMES das "várias Universidades conceituadas de Europa dos Estados Unidos" que validaram os estudos de Sérgio Felipe sobre a glândula pineal?

Pois bem. No dia seguinte (06/05/2012), mesmo não tendo sido comunicado de qualquer resposta a meus comentários (o YouTube comunica-nos automaticamente quando nossos comentários ali são replicados), tive ímpetos de ir à página do vídeo para me certificar disso. E não é que estavam lá dois comentários do Sr. Alamar Régis, postados ainda no dia anterior, e daquela forma desorganizada que já comentamos acima, como se fossem comentários ao próprio vídeo, e não réplicas a outros comentários? Pois é... Seguem abaixo (vejam que "gracinha"):

Jedarib, meu caro. Não creio ser o mais ético ficar aqui num site, relatando nomes que aplaudiram um ou outro expositor porque, mesmo que colocássemos alguma foto de alguém conhecido, com certeza, apareceria algum radical preconceituoso e extremista para dizer que a foto seria montagem. Partindo do princípio que não é um trabalho reservado, tudo é público, o acesso é livre, tudo está gravado em vídeos, a disposição de quem se interessar. Não permitem botar links aqui, mas pequisE UNIESPIRITO

Não existe, nunca, nas experiências espíritas a menor preocupação em provar nada para ninguém, sobretudo para pessoas que levam os assuntos à discussão de cunho religioso. Todas as descobertas que são feitas, geralmente ficam públicas, na base do "veja quem quiser ver" e nada fica obscuro. O compromisso maior é com a ética, a lógica, a sensatez, a dignidade. Sempre são convidados cientistas de universidades para acompanharem o que é novo, sem qualquer compromisso religioso.

Não respondi a este último, sob pena de dar azo para que Alamar pudesse fugir ainda mais do foco da discussão (o canalha sempre faz isso). Mas poderia ter dito o seguinte:

1- O que está sendo discutido aqui não são as "experiências espíritas", mas as "falações alamaristas"; 2- Toda e qualquer experiência busca provar algo (ou coisa assim), ainda que seja apenas para o próprio experimentador; 3- Ética, lógica, sensatez e dignidade são coisas que Sérgio Felipe não tem, e muito menos você.

Quanto ao primeiro comentário -- que, além de FALAZ, traz o ranço da HIPOCRISIA, pois Alamar Régis nunca se esforçou para deixar de citar nomes, mesmo nos casos em que isto foi, de fato, antiético -- comentei o seguinte:

Já que você não quer citar os nomes do Nobéis que alegadamente teriam aplaudido Sérgio Felipe de pé (não haveria nada de antiético nisso), me diz uma coisa: você assistiu à cena? Se não, está repassando a "informação" com base em quê?
E quanto aos "vários cientistas dos mais notáveis" que teriam presenciado as "conferências" de Sérgio Felipe? Seria também antiético citá-los? Sinceramente...
Em tempo: não há nada no site da UniEspírito a respeito de tudo isso que disseste.

E quanto aos nomes das "diversas universidades da Europa e dos Estados Unidos" onde Sérgio Felipe tem sido convidado a realizar palestras todos os anos e das "várias Universidades conceituadas de Europa dos Estados Unidos" que teriam validado os estudos do médico a respeito da pineal? Irá fingir que não viu as perguntas, ou dirá que também seria "antiético" citar os nomes?

Não tendo obtido qualquer resposta a estas questões, enviei em 12/05/2012 a seguinte mensagem a Alamar Régis (os grifos são atuais):

Devido ao fato de não teres respondido, na seção de comentários do vídeo disponibilizado em http://www.youtube.com/watch?v=iIZw-ZsrgK4, às minhas claras e objetivas perguntas referentes a afirmações que fizeste relativas a alegadas atuações internacionais de Sérgio Felipe de Oliveira, fica claro que, ou estás apenas repetindo "informações" na base do "ouvi dizer" que tanta criticas (e talvez nem mesmo se lembre mais de quem as ouviu), ou estás simplesmente mentindo. Sendo assim, dou-lhe duas opções: (1) Admitir isto publicamente em resposta às minhas últimas perguntas - opção mais digna; (2) Deixar de dar destaque a teus próprios comentários na página em questão, para que as pessoas que a acessarem possam perceber claramente a cronologia dos comentários e, em consequência, que não respondeste às minhas questões. Caso contrário, serei obrigado a colocar em minha lista de "coisas a fazer" a denúncia, em texto público, do caso. Grato.

A "resposta" veio no dia seguinte:


E então, finalmente, ficou clara a condição de Alamar Régis na divulgação de Sérgio Felipe... Sua frase "Não me disseram não, eu testemunho tudo o que digo" acabou por denunciá-lo por completo. Estávamos diante, não de um "enganado", mas de um mentiroso que, ciente das mentiras que propaga, ainda por cima tenta de todos os modos convencer o interlocutor de que aquilo que diz é verdade, atitude francamente psicopatológica...

Pois bem. Ainda assim, tentei fazê-lo refletir, razão por que em 14/05/2012 enviei-lhe uma resposta na qual, dentre outras coisas, constava o que segue:

Pense bem no que você está dizendo, amigo. Quer dizer que você testemunhou as ditas conferências em universidades estrangeiras que Sérgio Felipe têm sido convidado a realizar todos os anos? Que testemunhou também a presença de "cientistas dos mais notáveis" nelas? Que testemunhou Nobéis de duas importantes áreas do conhecimento aplaudindo Sérgio Felipe de pé? É isso? Você assina e registra firma (como costuma dizer) quanto a estas afirmações?

De nada adiantou... Na "resposta" de Alamar, postada no dia seguinte (15/05/2012), ele dizia-me que, apesar de não ter testemunhado tudo o que dissera, tinha gravações em vídeo... Tudo na tentativa de me enganar, como se eu já não soubesse da FALSIDADE de todas aquelas "informações"... Em continuidade, procurando sair um pouco do assunto, mas mantendo sua postura de mentiroso, afirmou que a USP validara as pesquisas de Sérgio Felipe com médiuns, etc., etc., aproveitando ainda, talvez sem saber com quem estava falando, para dar uma daquelas suas tiradas no estilo "engana-bobo": Mas não temos a pretensão de convencer ninguém a acreditar nisto, porque acreditar é uma fase primitiva, saber é uma fase mais avançada...

Mas, ainda esperançoso de que eu conseguiria fazer com que Alamar enxergasse o papel ridículo que estava a exercer, mandei-lhe a seguinte mensagem no mesmo dia 15/05 (seria a última, eu já havia decidido):

Bem, Alamar, de qualquer forma, então você deve saber os *nomes* das universidades estrangeiras onde Sérgio Felipe "conferenciou" nos últimos 3 anos, por exemplo, e os *nomes* dos "cientistas dos mais notáveis" que assistiram-nas, e os nomes dos dois Nobéis que o aplaudiram de pé. Se não quer dizer na página daquele vídeo, diga aqui, pelo menos... Por que não fazê-lo?
Aproveite, também, e me informe de onde tirou que os estudos de Sérgio Felipe sobre a pineal foram validados até por universidades estrangeiras.
Um abraço.


A "resposta" a esta mensagem só viria um mês depois, e deixava muito claro que Alamar não estava minimamente disposto a deixar de lado seu "teatro"... Vejam:


Gostei do "finalzinho": Não se preocupe, amigão, que nós não nos aborrecemos com ninguém que não quer acreditar, que não quer testar, que não quer checar, como nós checamos... Além de vigarista (na mensagem acima encontramos pelo menos mais uma mentira: a de que Sérgio Felipe não faz propaganda de seus "feitos"), o sujeito, em descarado cinismo, ainda resolveu me esnobar, inflando-se de uma superioridade inexistente...

Naquela altura do campeonato, lembrei-me bem da resposta à questão 932 de O Livro dos Espíritos. Além de intrigantes, os maus, de fato, são audaciosos...

Como não estava com tempo hábil para fazer uma denúncia pública do caso naquela ocasião, arrolei isto em minha "lista de textos a escrever e publicar", conforme disse que faria em minha primeira mensagem endereçada a Alamar (vide acima). Infelizmente, porém, uma vez nesta nesta "lista", é comum a "coisa" demorar meses (às vezes até anos!) para ser retomada, finalizada e publicada... E demoraria ainda mais para sair, não fosse o que será relatado adiante...

Em 03/02 deste ano (2013) recebi, de um desses indivíduos que não tem a mínima acuidade nas leituras que fazem, a seguinte "réplica" a meu último comentário na página do vídeo "Dr. Sérgio Felipe e a Fenomenologia" (o link já foi fornecido acima neste texto):

Alamar não está fingindo que não leu a pergunta.
Ele só está respondendo no lugar errado!
Abraço.
 ·  em resposta a jedarib (Mostrar o comentário)

No mesmo dia postei uma resposta, e no dia seguinte (04/02/2013) publiquei outra, mais precisa, apagando a anterior:

Alamar ignorou, sim, as perguntas! E simplesmente por um único motivo: porque estava faltando com a verdade, e teria que *inventar* nomes para sustentar o que dissera... Agora, se você acha que aquele comentário em que ele começa com "Não existe, nunca, etc., etc." serve de resposta, lamento lhe dizer, mas você está muito enganado. (Posso replicar o dito cujo, caso queira.) No contexto em que apareceu, aquilo foi a mais pura falácia!...

Tal resposta pode ser vista do instantâneo abaixo, obtido da página do vídeo naquele dia:


Depois disso, esqueci-me novamente do caso. Curiosamente, porém, quarta-feira passada, ou seja, 13/03/2013 (mais de um mês, portanto, da submissão do comentário destacado na imagem acima), ao retornar de um centro espírita que há uns bons meses já não frequentava, tive uma intuição para voltar à página onde o comentário deveria se encontrar (http://www.youtube.com/watch?v=iIZw-ZsrgK4). Chegando lá, pude descobrir então a razão de ser daquele ímpeto: MEU COMENTÁRIO NÃO APARECIA MAIS PUBLICAMENTE NA PÁGINA! Vejam um instantâneo dela neste exato momento para certificarem-se do que estou dizendo:


Ou seja, o Sr. Alamar Régis, que vive a criticar a censura e a defender a liberdade de expressão, simplesmente boicotou-me!

Então, para terminar este texto, e levando em consideração como contraprovas somente os episódios acima relatados, vejamos...
--- Alamar critica a mentira, mas ele próprio é um mentiroso;
--- Critica o "fanatismo igrejeiro", e faz pior em sua adulação a Sérgio Felipe;
--- Fala de boca cheia da sensatez e da lógica, mas é insensato e tergiversador;
--- Critica o cinismo, mas é um cínico;
--- Critica a censura, mas boicota quem se dispõe a denunciar suas mentiras;
--- E, por fim, critica a hipocrisia, mas é um hipócrita de múltiplas tendências, como podemos ver...

Nota final: Nosso amigo criou a DuBem -- Associação Global de Realizações no Bem, e dá palestras em casas espíritas por todo o Brasil...

______________________
1- Não deve ser incluído no que se chamo de "movimento espírita" as curas espirituais e morais que algumas casas espíritas propiciam, nem a tarefa de assistência material aos mais carentes que elas realizam --  atividades, sem dúvida, de grande importância.
2- Desde já alguns meses venho evitando ler os e-mails que recebo relativos ao movimento espírita, pois acabei acumulando uma grande lista de "textos a escrever" sobre certos tópicos que chegaram ao meu conhecimento, e cheguei à conclusão de que, mesmo para as poucas mensagens que recebo a respeito, eu teria que me dedicar em tempo integral para denunciar todas as mentiras, desconstruir todas as injustiças e escancarar todo o "pseudoconhecimento" que grassam no meio, tão absurda que é a situação.
3- Isto, por si só, seria suficiente para considerar Alamar um hipócrita, uma vez que ele "enche a boca" pra falar que sempre se certifica do que diz.
4- Vejam, por exemplo, a subseção "Participação em eventos" da seção "Eventos" do currículo Lattes de Sérgio Felipe (http://lattes.cnpq.br/2483612039841566). Aquilatem então o tamanho da MENTIRA de Alamar Régis: NÃO SÓ Sérgio Felipe NÃO faz conferências "TODOS OS ANOS, sempre mais de uma vez por ano," em universidades estrangeiras, COMO ele NUNCA -- pelo menos, nada consta no currículo -- atuou em qualquer conferência universitária no Exterior! TODOS os eventos estrangeiros dos quais participou foram espíritas, a maioria deles organizada por associações médico-espíritas.

quinta-feira, 14 de março de 2013

Retorno ao blog

Depois de mais de 4 meses sem nada postar aqui, volto à tarefa desagradável -- mas necessária -- de denunciar as mazelas do movimento espírita brasileiro. Mesmo não tendo qualquer participação ativa nele, pois que não simpatizo com a coisa, infelizmente acabei me envolvendo em certas questões que o tocam de perto, principalmente no que tange ao quesito divulgação, e pude então verificar toda a SUJEIRA que rola aí.

De início, acreditei que os responsáveis pela divulgação de informações enganosas sobre certo "ícone" espírita (ou de vídeos em que o próprio fazia o "trabalho") fossem apenas ingênuos propagadores de inverdades. Que nada! A ingenuidade era toda minha... Muitos divulgadores espíritas estão plenamente cientes das mentiras que estão a propagar, e outros vão ainda além, turbinando as falsidades com "adendos" quase cômicos, tamanha a fantasia envolvida no processo. Ponto comum entre ambos: fazem o que podem para impedir que a verdade sobre aquilo que divulgam seja levada à público, e, como não poderia deixar de ser, frequentemente utilizam-se da CENSURA para fazerem valer seus propósitos macabros, mesmo em casos em que seria impensável tal procedimento.

É sobre isso que falarei na postagem seguinte e posteriores. (Sim, terei que dedicar algumas postagens a este assunto, pois, ficando apenas no quesito censura, tive a infelicidade de ser boicotado mais de uma vez por certos canalhas espíritas que acabei "trombando" na Internet.)